Conheça Linda Brasil, a primeira mulher trans formada pela Universidade Federal de Sergipe

A vida de um soropositivo | Entrevista com Salvador Campos

Conte com a CasAmor – noite de lançamento do site reuniu artistas e militantes

Por Matheus Brito

Na CasAmor, espaço de acolhimento para pessoas LGBTQIA+, aconteceu o lançamento do site conte. O idealizador, Chrisley Luiz Santana, apresentou a plataforma, layout e ferramentas para o público. Criado para reunir tanto depoimentos quanto produções artísticas e acadêmicas, o projeto conte surgiu como trabalho de conclusão de curso e cada vez mais aglutina discussões importantes sobre as condições de vida dos grupos que representam a comunidade.

A atriz, cantora, dançarina e integrante do Quilombo Ubuntu Teatro Negro, Maluh Andrade, foi a responsável por fazer a abertura e conduzir apresentações e debates da noite. Assim como em outros espaços dos quais fez parte, Maluh Andrade iniciou a noite de lançamento com uma versão acapella da música “Serei A”, de Linn da Quebrada. Em meio às apresentações e debates, ela também fez os sorteios oito kits que incluíam buttons, livros, cupons de descontos com parceiros do projeto, entre outros brindes.

 

 

Para discutir desafios da única casa de acolhimento LGBTQIA+ do Nordeste, a CasAmor, e formas de cuidado e resistência político-afetiva, a ativista, mestranda em Educação e transfeminista, Linda Brasil, e a psicóloga social e estudante de Teatro, Lili Drapala, uniram-se. Enquanto Linda Brasil falou da construção da casa há mais de um ano à atual situação, Lili Drapala falou do potencial da comunidade para enfrentar períodos adversos. De acordo com a psicóloga, o truque, que é associado às travestis, pode ser pensado como uma tecnologia social para driblar a marginalização.

 

 

Logo após o debate, iniciaram as intervenções artísticas. Todos os artistas convidados eram transexuais: a cantora e performer Pérola Negra LaVinny, as poetas Quésia Sonza e Stella Carvalho e o cantor Uryel Landucci. Individuais e coletivas, as apresentações foram marcadas pelo estilo de cada artista na hora de recitar, cantar, dançar e interagir com o público. Na noite do evento, Pérola Negra, Quésia Sonza e Stella Carvalho decidiram lançar o grupo Trava Nagô, o qual pretende reunir poesia, música e performance.

 

 

Vídeo: Diego DiSouza
Fotografia: Ju Fontes