Eu x o mundo

Nasci pobre e petra, baiana, brasileira em uma família comum do sertão, nunca me senti pertencente ao que eles gostam/gostavam, sempre fui marginal, desde o início estou a margem do que é certo, bonito, adequado e belo. Hoje eu sei o que eu quero, eu sei que eu tenho que ser muito boa no que eu vou fazer, uma bixa excelente no que eu me propor, eu sei que dar valor a quem me valoriza e eu sei que o mundo não vai me esmagar tão cedo.

Quero Contar!